Sinopse

Nova York, anos 1970. As cores, sons e densidade da cidade ganham uma carga psicogeográfica em uma narrativa de cartas trocadas entre mãe e filha. A filha é a própria diretora, aqui uma jovem belga que chega aos Estados Unidos para trabalhar com cinema. É com a voz mansa e quase dormente da própria Chantal Akerman que escutamos (e, às vezes, deixamos de escutar) as cartas que sua mãe envia de Bruxelas. Um filme que, nos movimentos de metrôs, carros e balsas, nos aproxima e nos afasta tanto da cidade quanto das pessoas. (C. A.)

Trailer

Direção

Chantal Akerman

Nascida em Bruxelas, Chantal Akerman (1950-2015) sempre trafegou entre a ficção, o documentário e o experimental, muitas vezes borrando as fronteiras entre esses rótulos. Figura-chave para as novas perspectivas feministas de teoria cinematográfica que ganharam fôlego nas décadas de 1960 e 70, realizou, entre outros filmes, o essencial "Jeanne Dielman, 23 Quai du Commerce,1080 Bruxelles" (1975).

Créditos

Produção

Paradise Films, Unité Trois, INA , ZDF

Roteiro

Chantal Akerman

Elenco

Chantal Akerman

Direção de Fotografia

Babette Mangolte

Montagem

Francine Sandberg

Som

Dominique Dalmasso, Larry Haas

Você também pode curtir