Sinopse

Em “O Que Não Se Vê” Paulo Abreu sutilmente reposiciona os topoï mais característicos da narrativa de viagem: em lugar da dialética do reconhecimento de si mediada pela descoberta de outrem, há um jogo de interrupções, no qual a tematização constante dos mecanismo da visão – em um dispositivo marcadamente ensaístico, entre paisagens, deslocamentos e voz over – como que se substitui a utopia de um encontro possível. *(E.B)

Ao adquirir este curta do Programa 04 você tem acesso aos curtas: EU ESPERO O DIA DA NOSSA INDEPENDÊNCIA, A CULPA NÃO É NOSSA, HÁ UM FANTASMA DE MIM, O QUE NÃO SE VÊ, CARTA DO SEU PAÍS DISTANTE

Trailer

Direção

Paulo Abreu

Realizou vídeos para espectáculos de dança, teatro e música. Foi bolsista da Fundação Calouste Gulbenkian/FLAD na Film/Vídeo Arts (Nova Iorque, 1991). Foi operador de câmara em várias séries documentais culturais para televisão. Colaborou com artistas plásticos portugueses e participou em exposições coletivas. Realizou documentários de longa e curta-metragem e mais de 20 filmes experimentais em formato Super 8 selecionados e distinguidos em festivais nacionais e internacionais.

Créditos

Produção

Filipa Reis

Direção de Fotografia

Lee Fuzeta

Montagem

Paulo Abreu

Som

Paulo Abreu, Sérgio Gregório

Festivais

Pesaro Film Festival
Porto/Post/Doc
Festival de Málaga