Seminário

Decolonialidade nas Produções Cinematográficas

11/10/21 - segunda-feira | 16:00

Brasil 2021: de(s)colonizar o cinema, enquanto ato político e coletivo, é extrapolar o terreno das imagens, dos discursos e adentrar ao campo pragmático da própria experiência do cinema, desde os modos de realização e produção até a distribuição e o encontro com as obras. É o desafio de visitar os espaços, localizar a/o/es sujeita/o/es e as condições de acesso às imagens. Para que diversos imaginários sejam impressos e representados nas telas é primordial potencializar os ecos das experiências, corpos e cosmologias. Decolonizar é prática de escuta e de trocas.

Mediação

Larissa Nepomuceno

Larissa Nepomuceno, integrante da MAP- Mulheres do Audiovisual do Paraná, é pesquisadora, documentarista, e mestre em Educação. Em seus filmes discute direitos humanos, pautas identitárias e o lugar da mulher na sociedade. Seus documentários, produzidos durante o curso de cinema, fizeram grande carreira em festivais. O primeiro, “Megg – A Margem que Migra para o Centro” (2018), recebeu 9 prêmios em 78 festivais pelo mundo e “Seremos Ouvidas” (2020) recebeu 9 prêmios em 71 festivais nacionais até então.

Palestrante

Vanessa Vieira

Mestranda em Cinema/Unicamp, graduada em História/UEM e graduada em Cinema/Unespar.
Produtora Cultural, atriz e diretora de audiovisual
Em sua experiência no mercado, atua em múltiplas funções, e tem como foco de seu trabalho/pesquisa a criação e difusão de novas/outras narrativas.

Máira Nunes

Máira Nunes possui graduação em História pela Universidade Federal do Paraná (1999), mestrado em História pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2007) e doutorado em Comunicação e Linguagens pela Universidade Tuiuti do Paraná (2017). É professora do Centro Universitário Internacional Uninter. Tem experiência na área de História e Comunicação, com ênfase em História Moderna e Contemporânea, Movimentos Sociais, Gênero e Feminismo.

Viviane Ferreira

Viviane Ferreira é Diretora-Presidente da Spcine, empresa de cinema e audiovisual da Cidade de São Paulo responsável pelo desenvolvimento, financiamento e implementação de programas e políticas para os setores de cinema, TV, games e novas mídias. Especialista em políticas públicas para o audiovisual, presidiu e é uma das fundadoras da APAN – Associação dos Profissionais do Audiovisual Negro. Além disso, presidiu o Comitê de Seleção do Oscar 2021, responsável por indicar o representante brasileiro para a Academia de Cinema.